Páginas

15.11.12

Ás vezes imagino-te a morrer. Ás vezes imagino os outros bem, e só quero que estejam mal. Mas não faço nada, só imagino, e imagino que isso seja quase tão forte como rebentar com o mundo.
No final de contas são precisos dois para começar.


No comments: