Páginas

10.4.12

Poema Um.

É isso que eu sou
A fatia do teu bolo,
O que deixaste queimar
num forno sem botões
Sem botões para controlar.
Mas o problema é teu,
Que pensas que estamos no fim
Mas este fim é só o princípio
Da merda que eu vesti.
No máximo acaba o mundo 
Mas para ti não é surpreendente
Para ti só quando eu acabar 
é que será suficiente


A tua vida não é tua
as portas
as janelas
as letras
e as medalhas
Tudo isso também é meu
Não é porque quero
Mas porque os outros são canalhas
é isto
é aquilo
é o outro
Somos nós
São desculpas
São pecados
São cabelos cheios de nós.

Poema Dois.

Toca aquela parte amor
aquela que tu sabes tão bem
Toca
Eu quero ouvir
Eu quero te lembrar
Sem saber quem te tem

O que é que importa se és filho de Deus
O que é que importa se és filho da mãe
Se és o que deu
Ou se és o que tem
O que é que importa 
Se sabes nadar
se aquilo que não tens também vai mudar.

No comments: