Páginas

29.4.12

Não suporto quem conheço.
É que, não sei. Talvez saiba demasiado.
E saber demasiado deixa-me neste estado
MERDOSO.
Nervoso.
Teimoso, como de manhã a ascender pelo quarto fora.
Com a luz apagada. E os tornozelos doridos de pancadas que dei.
Os cantos ficam circulares e não dá para esconder nem o saber nem o doer.
Quanto muito fica o vencer de um caber num jeito de querer.
Fica assim um quarto feio, sem cantos nem pessoas,
sem ninguém para foder
Sem espaço para viver.

1 comment:

Luís Freitas said...

Sabes o que é bom? Conhecer sem que nunca conheças. Pensa nisso ;)