Páginas

5.3.12

Somos parceiros no crime.
As tuas mãos e eu.

7 comments:

Diogo Sousa said...

Um dia a policia vai-te tirar impressões digitais do pescoço, acredita em mim.

MónicaFonseca. said...

Pelo sim pelo não, será melhor afastares-te das mãos dele tá? Assim não corres riscos.

Luís Freitas said...

Quem ler as tuas coisas vai pensar que a criatividade é algo básico e comum, porque de facto quem ler o que escreves vai pensar "eu teria conseguido fazer isto", mas não teriam!

Inês Soares said...

Para quê complicar, se aquilo que dizes quando acordas é arte? Não vejo nenhuma razao por agora, mais logo talvez xP

Luís Freitas said...

Nem todos pensam assim. Se para ti um conjunto de palavras é arte, para outros é só mais uma frase que se perde e é ai que marcas a diferença em relação a eles. Consegues ver profundidade na simplicidade, eles não, eles só a conseguem ver quando alguém a aplica, mas nunca a vão conseguir aplicar. Percebes? Não sei se é razão suficiente para ti :P

Inês Soares said...

Percebo, aliás acho que era mesmo isso que estava a precisar de ouvir. Ao menos não estou maluca, e alguém percebe aquilo que escrevo. Obrigada Senhor que eu não conheço mas que de certo não me importava nada de conhecer. *

Luís Freitas said...

Estás melhor que eu pois já me conheces a cara, já eu estou fascinado por uma completa anónima sem cara nem forma. Talvez seja esse o fascínio mais puro, aquele que os olhos não reconhecem.

Não me chames senhor, sou só o Luís.