Páginas

31.3.12

Confesso que ás vezes quero pensar o que tu pensas.
Só depois vejo que és melhor que um Kazoo.
A ideia que dás é a mesma que tens
E decido para sempre não pensar mais que tu.

1 comment:

Luís Freitas said...

Cheira a magia a tua escrita =)